quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Entrevista com um pastor honesto

Abaixo segue-se uma entrevista com um pastor honesto:

1. Tendo em conta o número de igrejas que surgem em todos os lados, é assim tão fácil tornar-se pastor?
Resposta: Bem, isto depende de denominação para denominação e de igreja para igreja. No meu caso foram necessários oito anos desde o seminário, tempo de aspirante na igreja e a consagração. 

2. Durante este tempo de seminário e aspirante o candidato recebe algum salário?
Resposta: Geralmente não, com boa vontade da igreja as vezes recebe-se alguma oferta ou a igreja paga os custos do estudo no seminário. 

3. Se não é assim tão fácil como aparecem tantos pastores?
Resposta: Acredito que a maioria são pastores sem qualquer tipo de preparação formal e outros são autodenominados pastores.

4. Qual a consequência deste surgimento desenfreado de pastores?
Resposta: Heresias nas igrejas, doenças psicológicas em membros da igreja, vergonha ao evangelho, oportunistas e enganadores. Entretanto, há pastores que nunca fizeram um curso formal e são excelentes pastores, mas a norma é que surjam pastores ruins.

5. Uma vez pastor, ganha-se bem?
Resposta: Mais uma vez isto depende da igreja. Geralmente nas igrejas históricas os pastores recebem um determinado salário conforme as condições da igreja. Mas dificilmente ultrapassará a média de oito a dez salários mínimos. Eu recebo um pouco mais de três salários mínimos. Nestas igrejas neopentecostais geralmente o dinheiro do pastor e o da igreja é o mesmo, de maneira que não há limites. 

6. Este crescimento no número de igrejas é benéfico?
Resposta: Se o crescimento fosse organizado, visando alcançar lugares onde não existem igrejas, sim, seria de certa forma benéfico. Mas não é isto que acontece. Conheço o caso de várias igrejas que estão justamente do lado de outra igreja, separados por uma parede ou por uma laje. Num determinado local da minha cidade num perímetro de 100m2 estão quatro igrejas. Não é possível que seja uma obra de Deus levar tantas igrejas para um único local.

7. E a sua igreja, encontra-se numa condição semelhante?
Resposta: Mais ou menos, no entanto a igreja a que pertenço foi estabelecida naquele local há quase quarenta anos, quando lá não havia igreja alguma, hoje há várias.

8. Como o pastor honesto de uma igreja como a sua sente-se em meio a isto?
Resposta: Sinto-me numa competição desleal, onde estas igrejas e pastores trabalham de forma antiética, quando utilizam-se de práticas desleais para roubar membros de outras igrejas oferecendo um cristianismo mais fácil, uma liturgia que está centrada nas aspirações humanas, presumem possuir mais poder. Jogam baixo mesmo!

9. Qual a sua perspectiva de futuro para a igreja evangélica?
Resposta: Se continuarmos como estamos, o futuro será desastroso. Um pandemónio de heresias, de competições, de empobrecimento do verdadeiro evangelho. 

10. Qual a sua perspectiva pessoal?
Resposta: Luto todos os dias comigo mesmo para continuar como pastor. Ser pastor não é fácil, digo ser pastor de verdade. Se puder num futuro próximo ter outra forma de manter minha família, penso em deixar de servir a igreja como pastor e procurar viver a fé cristã longe desta confusão toda. 


terça-feira, 4 de outubro de 2016

Jegue

Numa de nossas viagens por este Brasil, paramos em uma determinada cidade em busca de um hotel para dormir, quando o senhor da recepção percebeu que éramos crentes, convidou-nos para pernoitar em sua casa. Lá fomos nós! Antes de dormir teve um lanche, uma boa prosa, até que chegou a hora de irmãos para a cama, então o irmão que ia conosco orou com todo fervor: "Pai Amado, assim com usaste o jegue que levou teu até a cidade de Jerusalém, usaste o teu servo, dono desta casa, apara acolher os teus filhos!" - Ele bem que podia ter deixado sua gratidão e comparação para si próprio!

Pastor

Três meses no banco

Meu pai pastoreava duas igrejas em cidades vizinhas. Uma vez o baterista da igreja 1 foi até a igreja 2 e pegou um prato de bateria, que supostamente era dele.
Meu pai foi perguntar porque ele estava levando uma peça embora (ele não sabia que o prato era do baterista; não havia que comprovasse a palavra do batuqueiro).
O músico virou e disse: “vai pro inferno”
Depois não entendeu porque ficou 3 meses de banco.

Filho de Pastor

Funeral

O telefone tocou de noitinha. Era da igreja. A esposa de um senhor havia falecido. Morávamos em outra cidade distante 45km, nos preparamos para ir ao velório na manhã seguinte.
Quando chegamos, apenas o viúvo e o caixão estavam dentro da sala. Foi uma das coisas mais tristes que presenciei. Meus pais o abraçaram e choraram por muitos minutos.
Ali estava a igreja que é chamada pra chorar com os que choram.

Filho de Pastor

Casamento

Em algumas igrejas evangélicas não se batizam pessoas amasiadas. Em nossa denominação era assim também. Até que uma moça se converteu, teve sua vida transformada, dava um excelente testemunho, porém vivia com um homem já antes de sua conversão e tinha até filhos. Explicamos a necessidade do casamento porém o marido não aceitava de forma alguma. Várias tentativas foram feitas por ela, por familiares, pela igreja, porém ele era irredutível. A moça não podia participar plenamente das atividades da igreja, por não ser batizada, não tomava ceia, não cantava com o grupo de senhoras. Até que um dia meu pai conversou com o pastor principal da igreja, explicou o caso da moça. Perguntou: “Se Jesus voltar hoje, ela está salva?” – Sim, responderam. “E se ela pode tomar a ceia do Cordeiro nos céus, quem somos nós para negar-lhe aqui na terra?”
Abriram uma exceção e a batizaram. 2 semanas depois o marido de livre e espontânea vontade quis casar. Coisas que Deus faz...

Filho de Pastor

Libertação

Nem só de tristezas vive o pastorado. Lembro de como era gostoso chegar na casa dos irmãos e ser bem recebido. Quando acompanhávamos alguma família em processo de libertação e depois os víamos restaurados e libertos, dando frutos na obra, não existe coisa mais gratificante!
Lembro de um jovem que frequentou a igreja todos os dias durante 6 meses até tomar uma decisão por Cristo. Veio a frente em lágrimas. Isso é o mais importante; vidas sendo salvas. É o que nos faz seguir adiante em face a todos os problemas.

Filho de Pastor

Benvindo

Quando meu pai foi enviado a uma pequena cidade no interior, ele era diácono evangelista em nossa denominação da época.
Lembro-me que tinha um garotinho na igreja que não conseguia falar evangelista e acabava falando “irmão gelista”.
Esse ficou sendo o apelido de meu pai durante aquele tempo. “O irmão gelista chegou, mãe!”.
Lembro-me de outro irmão chamado Benvindo, e quando tínhamos cultos caseiros as crianças diziam “olha lá mamãe o irmão vem vindo”
Ao que as mães corrigiam “não filho, é irmão Benvindo”.

Filho de Pastor 

Pinga-do

Tenho um irmão na fé que um piadista crônico (vou chama-lo de Chico). Tinha muitas histórias engraçadas sobre sua família; vou contar algumas.
Numa viagem, sua mãe e sua irmã mais velha estavam na rodoviária esperando o ônibus e foram tomar um café. A senhora, sua mãe, que vou chamar de D. Irene disse: “quero um café”.
A irmã do meu amigo (que irei chamar de Tonica) pediu: “eu quero um pingado”. Sua mãe ficou muito brava e começou a dizer: “Tonica, que pingado o que?! Nós somos crentes minha filha! Você não vai ficar tomando pingado coisa nenhuma! Moço, dá um café com leite pra ela mesmo”

*em SP, pingado é o nome pelo qual pedimos café com leite. A pobre irmão confundiu pingado com pinga...

Filho de Pastor 

Microfone

Essa eu vi ao vivo... em dias de ceia, deixávamos a mesa com pães e suco de uva (nem pensar em vinho!!!) preparada. As irmãs faziam arranjos com pães e uvas de plásticos, com trigos e garrafinhas de suco de uva, ficava tudo muito bonito. A irmã Irene (matriarca daquela igreja) foi dar uma “saudação” a igreja. Porém pegou a garrafa de suco ao invés do microfone. Começou a falar e quando percebeu que não saia som, olhou pra mim que estava na mesa e falou: “não está funcionando!” A igreja toda veio a riso, inclusive seu filho Chico que teve que ir pra rua devido a um ataque de riso!

Filho de Pastor

Tonica

Um presbítero da igreja foi almoçar na casa da família e na hora de fazer a oração gritou lá da cozinha: “oh Tonica, vamorar com nóis?” Tonica respondeu da sala: “não posso seu Dito, sou muito nova ainda e quero ficar com meus pais”

Filho de Pastot