sábado, 6 de agosto de 2016

Pastor auxiliar

Numa determinada ocasião fui convidado por uma igreja para servir como pastor auxiliar numa igreja. O que eu não esperava era encontrar um pastor titular inseguro, invejoso e cruel. Na verdade a minha contratação fora mais uma exigência da igreja do que uma vontade do pastor titular. Como ele não conseguia fazer todo o trabalho sozinho, era mais que normal a contratação de segundo pastor.

Na entrevista, minha impressão sobre o pastor titular pareceu-me normal, mas bastou alguns meses de trabalho juntos para ver quão enganado eu estava. Aquilo que a igreja provia como obrigação, tal como salário, casa e carro eram lançados em minha cara como um ato de extrema bondade e misericórdia, conseguidos, segundo ele, com a sua intervenção em meu favor.

Logo percebi o qual mentiroso ele era, o quão invejoso, o quão inseguro e como buscava entre os demais lideres da igreja prejudicar a nossa imagem. Fiquei profundamente magoado, percebi que não havia condições de continuar ali e ter minha saúde mental e física em bom estado. Após cinco anos resolvi sair da igreja, fiquei a disposição que outra igreja surgisse, e foi o que aconteceu alguns meses mais tarde numa outra cidade.

Pastor

Sem comentários:

Enviar um comentário