terça-feira, 4 de outubro de 2016

Três meses no banco

Meu pai pastoreava duas igrejas em cidades vizinhas. Uma vez o baterista da igreja 1 foi até a igreja 2 e pegou um prato de bateria, que supostamente era dele.
Meu pai foi perguntar porque ele estava levando uma peça embora (ele não sabia que o prato era do baterista; não havia que comprovasse a palavra do batuqueiro).
O músico virou e disse: “vai pro inferno”
Depois não entendeu porque ficou 3 meses de banco.

Filho de Pastor

Sem comentários:

Enviar um comentário